Espetáculos

Sinopse

Rio de Janeiro, 2014. Cláudia Silva Ferreira – mulher negra, pobre, 38 anos, mãe de quatro filhos biológicos e quatro adotivos – é brutalmente alvejada pela Polícia Militar ao sair de casa no Morro da Congonha, para comprar pão para sua família. Depois dos tiros, seu corpo é atirado às pressas no camburão da
viatura e arrastado ainda com vida, em meio ao tráfego da capital fluminense, sob o olhar horrorizado
de motoristas e pedestres. Entrelaçando fato verídico e narrativa ficcional, esta peça-manifesto mostra
a figura trágica de Cláudia reivindicando o que havia sido apagado durante a cobertura jornalística do
caso: o seu próprio nome, substituído pela impessoal, violenta e cruel alcunha de “Mulher Arrastada”.  

Gênero: Teatro adulto
Classificação: 14 anos
Duração: 50 minutos

Grupo

Dramaturgia Diones Camargo

Porto Alegre (RS)

Em parceria com a encenadora Adriane Mottola (fundadora da Cia. Stravaganza) e a atriz Celina Alcântara (cofundadora do UTA, Usina do Trabalho do Ator), o dramaturgo Diones Camargo idealizou o espetáculo A mulher arrastada, montagem independente que conta com a participação de renomados artistas de diversas áreas. Vencedora dos prêmios Braskem Em Cena 2018 de Melhor Espetáculo e Melhor Atriz, esta elogiada peça-manifesto vem percorrendo importantes mostras das artes cênicas no Brasil e no exterior.

 

Ficha Técnica

Texto DIONES CAMARGO 
Direção ADRIANE MOTTOLA 
Elenco CELINA ALCÂNTARA E PEDRO NAMBUCO 
Trilha Sonora Original FELIPE ZANCANARO 
Iluminação RICARDO VIVIAN 
Cenografia ISABEL RAMIL (AMBIENTAÇÃO CÊNICA) E ZOÉ DEGANI (OBJETOS CENOGRÁFICOS) 
Figurinos CRIAÇÃO COLETIVA 
Fotos de divulgação REGINA PEDUZZI PROTSKOF 
Arte Gráfica JÉSSICA BARBOSA 
Produção estreia / temporadas DIONES CAMARGO E REGINA PEDUZZI PROTSKOF 
Produção de circulação LUÍSA BARROS 
Realização DIONES CAMARGO E LA PHOTO GALERIA E ESPAÇO CULTURAL 
Apoio CIA. STRAVAGANZA E UTA – USINA DO TRABALHO DO ATOR

 

Pensamento Giratório

Vozes inaudíveis; vozes que são silenciadas ou que silenciam. Pessoas em situações sociais opostas, mas que se encontram igualmente à margem; cidadãos excluídos pela sociedade ou afastados dela na tentativa de se proteger. Peões periféricos separados por um muro simbólico erguido entre dois extremos e cuja única intenção é impedir que estes opostos se reconheçam, ou tomem consciência um do outro. Ambos ligados à ordem construída para anestesiar as potências de revolta que enunciam um sistema excludente e desigual.

 

 

Oficina

INTERSECÇÕES – A PALAVRA QUE ATRAVESSA O ESPAÇO E ABRE RACHADURAS
Em busca da palavra que se concretize como mediadora entre emissor e interlocutor, ator e espectador,
corpo e cena, o ministrante irá propor disparadores
para a criação textual a partir de experimentações
cênicas capazes de fazer germinar no espaço-texto as
inquietações, imagens e discursos que propiciem rupturas e reaproximações entre o ficcional e o real.

Público-alvo: Dramaturgos, escritores, atores e performers 
Carga horária: 8 horas 
Ministrante: Diones Camargo 
Número máximo de participantes: 15

Oficina

OFICINA – CARTOGRAFIA PERIFÉRICA: RELAÇÕES E APROXIMAÇÕES ENTRE A CARTOGRAFIA, A CIDADE E O ATOR
Na tentativa de ampliar o campo de investigação do trabalho criativo do ator, esta oficina propõe um ambiente
que explore e desenvolva possibilidades cênicas, a partir do uso de mapas e da linguagem cartográfica, evidenciando os espaços periféricos da cidade. 
Público-alvo: Atores e artistas interessados no tema 
Carga horária: 6 horas 
Ministrante: Pedro Nambuco 
Número máximo de participantes: 15

 

OFICINA – EXPERIMENTAÇÃO SONORA
A partir da experiência de criação da trilha sonora da
peça A mulher arrastada, esta oficina apresentará possibilidades de se obter som, construir música e desenvolver sonoridades através da pesquisa e experimentação
sonora com sucatas e objetos que não são considerados
pelo senso comum como instrumentos musicais, além
de microfonação e efeitos.
Público-alvo: Participantes acima de 10 anos com interesse em som, com ou sem experiência
Carga horária 6 horas 
Ministrante: Felipe Zancanaro
Número máximo de participantes: 8