Espetáculos

Sinopse

Livremente inspirado em A menina e o pássaro encantado, de Rubem Alves, Voa percorre o caminho das sutilezas e dos sentidos, tratando de cumplicidade e de saudades, mas principalmente de liberdade. As meninas e os pássaros que habitam o conto brincam, no espetáculo, com muitas possíveis relações de amizade, em ambiências que estimulam a interação do bebê com as luzes, os sons, os aromas e a cenografia. Entre idas e vindas de um pássaro viajante, Voa transgride as noções tradicionais de tempo, de espaço e de amor.
Segundo espetáculo da companhia, Voa estreou em fevereiro de 2017, com absoluto sucesso de público e de crítica. Desde então, vem traçando caminhos de circulação e expansão. Foi o único espetáculo para bebês selecionado para a 18º edição do Festival Internacional de Teatro de Brasília – Cena Contemporânea.

Gênero: teatro para bebês
Classificação: livre
Duração: 40 minutos

 

 

Grupo

COLETIVO ANTÔNIA

Brasília (DF)

Criado em 2009, a partir de estudos e investigações teatrais para a primeira infância, o Coletivo Antônia dedica-se à criação de espetáculos que propiciem dinâmicas horizontais entre crianças e adultos, baseando-se na capacidade de maravilhar-se dos bebês, com foco em suas habilidades e sensibilidades emocionais, poéticas e estéticas.
Paralelo às apresentações, o Coletivo fomenta espaços de pensamento e busca compartilhar saberes sobre as artes para a primeira infância, participando de debates, mesas redondas e conversas livres sobre o tema. Atua também na esfera de projetos voltados para crianças e professores das redes de ensino, com apresentações, oficinas e workshops, sempre com o intuito de compartilhar experiências. Além de ser membro do Centro Brasileiro de Teatro para a Infância e Juventude, o grupo é vinculado ao International Association of Theatre for Children and Young People.

Ficha Técnica

Realização: Coletivo Antônia
Direção: Rita de Almeida Castro
Elenco: Cirila Targhetta e Tatiana Bittar
Dramaturgia: Rita de Almeida Castro e Coletivo Antônia
Cenário e figurino: Roustang Carrilho
Música e sonoplastia: Euler Oliveira
Desenho de luz: Marcelo Augusto Design Gráfico / Ilha Design
Coordenação técnica e operação de luz: Euler Oliveira
Fotografia: Maíra Zannon e Guilherme Nabuco
Vídeo: Baleia Filmes
Produção executiva: Kamala Ramers
Direção de produção: Inova Roda Produções

 

 

Pensamento Giratório

É preciso fortalecer a inclusão dos bebês enquanto portadores dos direitos, das conquistas políticas e sociais da infância, colaborando deste modo, com o processo de humanização e cidadania por meio de projetos artísticos e culturais. O Coletivo Antônia propõe reflexões e intercâmbios entre agentes, realizadores e profissionais no setor das criações artísticas para a primeira infância, permitindo a criação de vínculos entre artistas-pesquisadores, companhias, projetos e festivais.

Oficinas

Cascatas cômicas

Práticas criativas


Voltada para educadores e pedagogos, a oficina propõe um trabalho que objetiva a criatividade, poesia e sensibilização dentro da sala de aula, oferecendo ferramentas inovadoras para a criação de um roteiro de experiências artísticas e teatrais. A oficina provê conhecimentos sobre a estética das transformações de espaços cotidianos para instalações sensoriais em contextos educativos/criativos.

Público-alvo: educadores e pedagogos interessados em desenvolver projetos criativos com as crianças da primeira infância
Carga horária: 4 horas
Ministrante: Coletivo Antônia
Número máximo de participantes: 20 profissionais


Construindo dramaturgias para a primeira infância


Esta oficina propõe o compartilhamento da metodologia de criação desenvolvida pelo Coletivo Antônia. Realizamos uma breve apresentação do Teatro para Bebês, seu surgimento e desenvolvimento enquanto linguagem, propondo reflexões sobre a primeira infância e a importância do respeito e da profundidade no trabalho artístico desenvolvido para os bebês. Na sequência, entramos no exercício de criação dramatúrgica, refletindo e problematizando ideias e conceitos sobre a arte para crianças.

Público-alvo: professores, educadores, atores e atrizes, diretores, dramaturgos, alunos e profissionais vinculados à primeira infância e público em geral
Carga horária: 4 horas
Ministrante: Coletivo Antônia
Número máximo de participantes: 20


Musicalização para a primeira infância


Esta oficina pretende expandir as possibilidades da capacidade de fruição musical de cada bebê, por meio de contato com distintas atividades, instrumentos, sonoridades, ambiências e vivências sonoras. O foco é trazer uma gama diversa de estímulos sonoros para despertar novas conexões e oferecer o máximo de variações sensoriais ao ouvido novo e sem discriminações culturais dos pequenos ouvintes.

Público-alvo: bebês e crianças de até 5 anos de idade e seus pais, mães e/ou responsáveis
Carga horária: 1 hora
Ministrante: Euler Oliveira
Número máximo de participantes: 20


Sensorium – uma vivência criativa para a primeira infância


A oficina visa ao compartilhamento de experiências em um determinado tempo/espaço, estimulando outras formas de recepção e percepção de produtos artísticos. Para tanto, propõe-se um ambiente favorável para a percepção de novos sentidos em cada um (crianças e adultos). Em um espaço livre de determinações e formalidades, crianças e adultos poderão vivenciar experiências a partir de provocações sensitivas.
Público-alvo: bebês e crianças de até 5 anos de idade e seus pais, mães e/ou responsáveis
Carga horária: 1 hora
Ministrante: Coletivo Antônia
Número máximo de participantes: 40 (entre adultos e crianças)

 

Espetáculo de Repertório

Bubuia

Com quantos baldes se faz um rio? Pode uma canoa flutuar no liso do ar? Qual o som da coruja quando encontra o eco do sapo no fundo do mato? O balão pode afundar com uma pedra dentro e o vento empurra pras margens de lá. Bubuia toma a liberdade de se inspirar em A terceira margem do rio, de Guimarães Rosa, e relaciona-se com as águas, coloca-se a mercê delas, flutua sobre um rio.

Gênero: teatro para bebês
Classificação: livre
Duração: 35 minutos

Ficha Técnica:

Realização: Coletiva Antônia
Direção artística: Beatrice Martins, Daniel Lacourt e Julia Henning (Coletivo Instrumento de ver)
Elenco: Cirila Targhetta, Kamala Ramers e Tatiana Bittar
Dramaturgia: Coletivo Instrumento de ver e Coletivo Antônia
Cenário e figurino: Roustang Carrilho
Música e sonoplastia: Euler Oliveira
Desenho de luz: Moisés Vasconcellos
Coordenação técnica e operação de luz: Euler Oliveira
Design gráfico: Ilha Design e Maíra Zannon
Fotografia: Diego Bresani, Guilherme Nabuco e Sabrina Rocha
Produção executiva: Inova Roda Produções